Estrada do Encanamento, 675.

Casa forte

info@emporiopernambucano.com.br

Tel: (81) 9 7914-3028

© 2015 por Empório Pernambucano

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon

1817: de Cabugá a Corbiniano

February 20, 2018

 

 

Na correria cotidiana, o transeunte que se desloca pela movimentada Avenida Cruz Cabugá não repara nos fragmentos de história que podem ser contemplados por lá. Antônio Gonçalves da Cruz Cabugá foi o enviado pelo Governo Provisório de 1817 como representante diplomático nos Estados Unidos encarregado de conseguir apoio político e comprar armamentos. A atual avenida teve sua origem numa estrada mandada abrir pelo General Luiz do Rego, um dos repressores da Revolução de 1817.

 

Na esquina com a avenida Norte, situa-se o Cemitério dos Ingleses. Em 1814, a pedido dos ingleses do Recife, o Príncipe Dom João determinou, com base nos acordos entre Portugal e Grã-Bretanha, que o governador da capitania doasse um terreno para os sepultamentos dos súditos britânicos. Seu imponente portão foi fabricado em 1852 na Fundição Aurora. Muito provavelmente está sepultado lá Henry Koster, testemunha ocular de 1817 e autor do livro Viagens ao Nordeste do Brasil.

 

 

 

A figura histórica mais notável a repousar naquele cemitério é Abreu e Lima, herói pernambucano nas lutas pela independência da Venezuela. Por ser maçom, o “general de Bolívar” não pode ser enterrado em campo santo católico por ordem do Bispo Cardoso Ayres (em 1869). Abreu e Lima era filho do célebre Padre Roma, enviado pelo Governo Provisório de 1817 para levar à Bahia a notícia da insurgência republicana. Acabou preso e fuzilado sumariamente. Justo ao lado do cemitério, numa pequena praça, encontra-se um mural de azulejos de 45 metros dedicado à memória das revoluções pernambucanas (1817, 1824 e 1848). É obra do artista Corbiniano Lins e foi realizado em 1967. Conta com textos explicativos do historiador Amaro Quintas (1911-1998).

 

 

Infelizmente, apesar de situado em local de grande movimento, acha-se praticamente inacessível à contemplação do público, com marcas de desgaste e pichações. Recentemente foi danificado pela queda de um poste. Seria muito esperar dos gestores municipais que, no ano do bicentenário de 1817, o painel da Cruz Cabugá fosse recuperado e valorizado com sua reapropriação pelo público? Nossa História agradeceria!

______________________________________________________________________________

Publicado em fevereiro de 2017, ano do Bicentenário da Revolução. Nas próximas semanas o Empório Pernambucano abordará o tema da Revolução Pernambucana que em 1817 instaurou, pela primeira vez, uma república entre nós. Usaremos a #Pernambuco1817. Participe da nossa comunidade Orgulho de ser Pernambuco e fique por dentro.

__________________________________________________________________________________________________

 

Conheça nossa mercearia online

 

HISTÓRIA DO BRASIL: A REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA DE 1817 = NARRAÇÃO PROF. CESAR MOTA

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Blog

Posts em Destaque

Engenho São Pedro e a produção de Cachaça ecologicamente correta

May 5, 2018

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga nos
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon