Estrada do Encanamento, 675.

Casa forte

info@emporiopernambucano.com.br

Tel: (81) 9 7914-3028

© 2015 por Empório Pernambucano

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon

MARIA, IMACULADA, CONCEBIDA SEM PECADO ORIGINAL E NOSSA SENHORA DA CONCEPÇÃO OU CONCEIÇÃO: FÉ QUE SE MISTURA.

December 9, 2017

 

Nesse dia 08 de dezembro os católicos comemoraram duas festas distintas, mas que se misturam. O dia da Imaculada Conceição e a Festa de Nossa Senhora da Concepção ou Conceição. A crença popular católica celebra Nossa Senhora da Conceição, ou Concepção. Isto é, celebra o modelo de Maternidade idealizada pelos católicos. Essa festa ocorre desde o século VII da era Cristã. Em virtude disso, durante muito tempo foi em 08 de dezembro que Portugal comemorou o dia das Mães.  Por sua vez, a festa da Imaculada Conceição, nessa data de 08 de dezembro é uma convenção e se trata de um conceito teológico. Foi instituída em meados do século XIX, pelo Concílio Vaticano I. No dia 08 de dezembro de 1854 o Papa Pio IX declarava como dogma de fé, ou seja, tornava inquestionável, a doutrina que ensinava sobre a Imaculada Conceição. Ou seja, Maria, a Mãe de Deus, foi concebida por Ana e Joaquim, sem a mancha do pecado original e isto se deu por uma graça divina muito especial. Para manter essa crença acesa e inquestionável, o Papa publicou a Bula “Ineffabilis Deus”. Nela ficou decretado: “Nós declaramos, decretamos e definimos que a doutrina segundo a qual, por uma graça e um especial privilégio de Deus Todo Poderoso e em virtude dos méritos de Jesus Cristo, salvador do gênero humano, a bem-aventurada Virgem Maria foi preservada de toda a mancha do pecado original no primeiro instante de sua conceição, foi revelada por Deus e deve, por conseguinte, ser crida firmemente e constantemente por todos os fiéis”. Esse pensamento fazia crer que a escolha da Imaculada Conceição, para ser a mãe de Jesus, era um plano divino. Para isso, ela foi concebida livre do pecado original, assim como se manteve livre de cometê-lo ao conceber Cristo, o que se deu por obra e graça do Espírito Santo. Seu completo domínio sobre o pecado de origem, faz com que todas as suas representações mostrem-na pisando numa serpente, a fiel representante do pecado de origem. Segundo o livro “Legenda Áurea. Vida de Santo”, escrito nos anos de 1267, por Jacopo de Varazze, “A bem-aventurada Virgem tinha catorze anos quando concebeu Cristo, quinze quando o pôs no mundo, viveu com ele 33 anos, sobreviveu 24 anos à morte e Ascensão de seu filho, estava com 72 anos quando morreu”. A fé sobreviveu à sua morte.

 

 

Essa tradição e fé católica na Imaculada Concepção de Maria, chegou ao Recife no ano de 1904. Isto significa dizer que, 54 anos depois da proclamação da bula papal, o Morro da Conceição, no Recife, recebia por doação dos vicentinos franceses, um monumento da Imaculada Conceição. O bispo, Dom Luís Raimundo Brito, também mandou erguer uma capela, assim como foi aberta uma estrada para ter acesso ao local. Em 08 de dezembro de 1904 foi inaugurado o monumento, quando se fez uma grande romaria ao lugar santo. Dois anos mais tarde, em 08 de dezembro de 1906, era a vez da inauguração da capela erguida perto do monumento a Imaculada Conceição. Desde então, esse lugar passou a ser reverenciado. Hoje, 08 de dezembro é um dia santo e feriado municipal. 

 

 

Esse dogma da Concepção Imaculada e de Maria, a mãe de Cristo, como mãe de todas as pessoas, se mistura e permanece vivo na fé católica. Sem perda de sua crença e na crença dos poderes marianos, as pessoas sobem o morro para olhar nos olhos da santa e, muitos delas, como não sabem rezar cantam:

 

“Me disseram, porém,
Que eu viesse aqui
Pra pedir de romaria e prece
Paz nos desaventos
Como eu não sei rezar
Só queria mostrar
Meu olhar, meu olhar, meu olhar”.

 

Conheça nossa loja virtual com o melhor do nordeste e com aquele gostinho de interior.

 

 

______________________________________________________________________________________

http://www.arquidioceseolindarecife.org/nossa-senhora-da-conceicao/.

http://cleofas.com.br/historia-da-igreja-concilio-vaticano-i/.

http://cleofas.com.br/a-historia-da-imaculada-conceicao/.

https://www.letras.mus.br/almir-sater/897445/.

 

______________________________________________________________________________________

 

Prof. Rozelia Bezerra

É graduada em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1988). Mestra em Epidemiologia Experimental Aplicada ás Zoonoses, pela Universidade de São Paulo (1995). Doutora em Educação, com ênfase em História da Educação e Historiografia. Tese sobre a História do Ensino da Higiene na instrução pública de Pernambuco (1875-1930) É professora Adjunta do Departamento de História da Universidade Federal Rural de Pernambuco, ministrando a disciplina História Cultural das doenças: as representações literárias. Professora de História da Alimentação, no curso de Graduação em Gastronomia – UFRPE. Pesquisa sobre História do ensino da Medicina Veterinária. Desenvolve pesquisa na área da História das Ciências e História das Doenças e dos Doentes no Brasil (séc. XVI-XX). Pesquisadora do Grupo de História Social e Cultural da UFRPE (GEHISC). A professora Rozélia escreve todas os sábados no nosso blog. 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Blog

Posts em Destaque

Engenho São Pedro e a produção de Cachaça ecologicamente correta

May 5, 2018

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga nos
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon