Estrada do Encanamento, 675.

Casa forte

info@emporiopernambucano.com.br

Tel: (81) 9 7914-3028

© 2015 por Empório Pernambucano

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Instagram Icon

Conheça uma autêntica casa de farinha

April 28, 2017

 

 

 

A farinha de mandioca é um dos componentes essenciais da dieta do brasileiro. Ela alimentou os índios antes da chegada de Cabral, fez parte da ração básica servida aos marinheiros que patrulhavam a costa e dos exploradores que adentraram a terra em busca de riquezas. Alimentou os homens escravizados trazidos para cá para construir o Brasil. Depois atravessou o atlântico e virou ingrediente típico da culinária africana. Com a farinha da mandioca e suas derivações se faz beiju, tapioca e farofa. Misturada ao caldo da carne vira pirão, também engrossa o feijão pra fazer o prato render.

 

Em algumas regiões do interior do país o processamento da raiz da mandioca para produção de farinha, ainda é realizado segundo métodos tradicionais herdados dos povos indígenas. No município de Primavera, na mata sul do estado, conhecemos o sítio da família Nazario, foi lá que encontramos uma das últimas casas de farinha desse tipo em Pernambuco.

 

Você conhece o produto, nós mostramos agora o processo de fabricação, feito de forma tradicional e em uma autêntica casa de farinha.

 

O processo

A produção em uma casa de farinha tradicional é simples: a mandioca é descascada, moída, prensada, peneirada e depois levada ao forno a lenha e aquecida até virar a farinha que conhecemos. Confira as etapas:

 

 

1- Após a colheita da raiz ela é descascada. As cascas podem servir para alimentar o gado.

 

 

 

 

 

 

 

2- Na etapa seguinte ela é colocada nesta máquina para ser triturada. Antes da chegada dos invasores europeus esse processo era realizado no pilão. Existem vestígios arqueológicos desses artefatos no território Brasileiro datados de 2 mil anos. Haja farinha!

 

 

 

 

 

O resultado é essa massa uniforme chamada de goma.

 

 

 

 

 

 

 

 

3- A goma é então prensada para liberar um suco venenoso chamado de água-de-mandioca. Este suco se usado no mesmo dia é um poderoso inseticida para combater pragas e doenças da lavoura.

 

 

 

 

 

4- Depois de prensada a massa resultante é peneirada. O tamanho da peneira diferencia o tamanho dos grãos da farinha no fim do processo.

 

 

 

 

 

 

 

 

5- Por ultimo os grãos vão a um forno de pedra aquecido a cerca de 200 graus Celsius. Os grãos são torrados por horas até tomarem a forma da farinha que conhecemos. Nessa foto temos cerca de 20 kg de farinha!

 

 

 

 

 Forno a lenha na casa de farinha da família Nazario em Primavera-PE.

 

Nós tivemos o privilégio de conhecer o sítio da família Nazario durante uma durante uma expedição do projeto Toyota Safari, organizado pelo Jornalista e fotógrafo JC Mazella. A casa de farinha da família Nazario funciona sempre as quintas, para que o produto possa ser comercializado na feira da cidade de Primavera aos sábados. Por sorte uma de suas vizinhas  estava produzindo a farinha dos próximos meses de sua  família e gentilmente nos explicou todo o processo.

 

Acesse nossa loja e compre ONLINE

 

Convidamos você a voltar conosco a Primavera agora no mês de maio.

 

Confira outras fotos e a hospitalidade da família Nazario.

 

O produto final

 

Café feito no fogão a lenha, sitio da família Nazario

 

 Casa de farinha

 

 

 

 Pão doce e caldo de cana

 

 Antigos instrumentos de trabalho

 Detalhe do forno a lenha

 

 Cachoeira do Convento em Primavera-PE.

 

Portas abertas! Entrada do sítio da família Nazario.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Blog

Posts em Destaque

Engenho São Pedro e a produção de Cachaça ecologicamente correta

May 5, 2018

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga nos
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon